Extraordinária prestação dos “rookies” nacionais de Boccia

Excelente prova dos jovens atletas nacionais em Pajulahti, na Finlândia, nos European Paralympic Youth Games, EPYG’2022, conquistando 4 medalhas de Ouro e 1 medalha de Bronze, nas 5 provas em que participaram.

Portugal apresentou-se com uma delegação de 5 atletas, levando representantes a 5 das 6 divisões em disputa, só não apresentando representante na divisão BC4.

Para além do atleta do Sporting Clube de Braga, Luís Costa (BC3), Portugal esteve representado por mais 3 atletas do Futebol Clube do Porto, Alice Moreira (BC3), Catarina Monteiro (BC2), David Araújo (BC2), e 1 atleta do Santacruzense – Madeira, Francisco Gouveia (BC1).

Na prova BC1, Francisco Gouveia venceu o grupo de apuramento, onde somente obteve dificuldades perante o italiano Riccardo Zanela, em jogo que teve de ser decidido por parcial de desempate. Na 1/2 final ultrapassou o francês Ridouane Messaoudi, e na final a israelita Nikita Prokopenko.

Na classe BC2 – Feminina, a atleta do FCP, Catarina Monteiro perdeu com a eslovaca Eliska Jankechova na 1/2 final, atleta que acabou por arrecadar a medalha de ouro. Na discussão para a medalha de bronze, Catarina Monteiro bateu a israelita Elisavet Iosifidou.

David Araújo, na classe BC2 – Masculino, passou na 2ª posição do seu grupo de apuramento, devido a derrota perante o espanhol Mikel Oterino. Na 1/2 final ultrapassou o grego Pangiotis Paschos, e na final o espanhol Xuban Santero.

Nas calhas, classe BC3, Luís Caravana e Alice Moreira demonstram o seu valor, arrecadando mais 2 medalhas de ouro para Portugal.

Alice Moreira encontrou adversária difícil na francesa Mathilde Troude, com a qual perdeu na fase de grupos, mas que acabou por a vencer no jogo decisivo, na final da prova BC3 feminina, um jogo muito interessante e de bom nível. Também, na 1/2 final, Alice Moreira teve de se esforçar para levar de vencida a grega Dimitra Papdopoulou.

Já Luís Caravana levou de vencida todos os jogos realizados, apesar de ter encontrado adversários difíceis, nomeadamente o francês Mathias Da Silva, o italiano Gabriele Zendron e o norueguês Konrad Logan, contra os quais teve de se manter a bom nível para conseguir controlar os jogos e conseguir vencer.

Pódios Boccia:

BC1 – Masculino

Ouro – Francisco Gouveia – Portugal

Prata – Francisco Bayona – Espanha

Bronze – Ridouane Messaoudi – França

BC2 – Feminino

Ouro – Eliska Jonkechova – Eslováquia

Prata – Kristina Kudlacova – Eslováquia

Bronze – Catarina Monteiro – Portugal

BC2 – Masculino

Ouro – David Araújo – Portugal

Prata – Xuban Santero – Espanha

Bronze – Jan Hatak – República Checa

BC3 – Feminino

Ouro – Alice Moreira – Portugal

Prata – Mathilde Troude – França

Bronze – Giullia Marchisio – Itália

BC3 – Masculino

Ouro – Luís Caravana – Portugal

Prata – Gabriele Zendron – Itália

Bronze – Mathias Da Silva – França

BC4 – Masculino

Ouro – Andrej Kaas – República Checa

Prata – Gergo Gicagz – Hungria

Bronze – Pavao Ruzic – Croácia

A inclusão e o aumento do número de provas para crianças e jovens no calendário nacional da modalidade, já é uma realidade, com os Torneios Novos Talentos (2) e o Campeonato Nacional Jovem (1), ao que se junta a criação da Seleção Nacional Jovem.

Se observarmos a possibilidade de qualquer jovem, com 13 ou mais anos de idade, poder participar em provas regionais e nacionais, e ainda nos Torneios Novos Talentos e no Campeonato Nacional Jovem, percebemos bem o esforço feito nos últimos anos para dar mais oportunidades de participação em provas e estimular os clubes e instituições a desenvolverem a sua formação, trazendo mais crianças e jovens para a prática desportiva.

O caminho para dar mais oportunidades aos jovens para a sua formação e desenvolvimento encontra-se a seguir o seu percurso:

1. Torneios Novos Talentos (Prova de Jogo e Prova de Skills – 6 aos 21 anos) na base desse caminho, torneios abertos a todos;

2. Provas regionais (13 anos ou mais) como outra oportunidade aberta a todos, competindo com atletas de mais idade e experiência, nivelados em divisões, em função da performance apresentada;

3. Prova Nacional Jovem (13 aos 21 anos), para qualificação de quem apresenta maior desenvolvimento e talento.

4. Prova Nacional por Género (13 anos ou mais) e Prova Nacional Absoluta (13 anos ou mais), para quem demonstrar especial talento e maturidade no jogo que permita competir com atletas mais experientes e talentosos a nível nacional.

5. Seleção Nacional Jovem, para dar oportunidade aos atletas jovens mais promissores de cada classe para que possam adquirir mais experiência e motivação, para garantir o futuro da representação internacional do país.

Talvez, este sucesso da participação portuguesa revele que o caminho traçado está em bom andamento. Porém, ainda será necessário criar uma estrutura para acautelar o futuro, alargando, ainda mais, esta intervenção para mais crianças e jovens, articulando com o Desporto Escolar, criando incentivos e apoios aos Clubes e às instituições, dando formação e acompanhamento regular, tudo isto sob um plano estratégico que possa ser aplicado com os recursos necessários para que seja uma realidade.

Quanto ao Sporting Clube de Braga, o desejo perseguido, há muito tempo, de aposta forte na formação desportiva na modalidade de Boccia, já se iniciou com a articulação semanal de um técnico desportivo com a Associação de Paralisia Cerebral de Braga, instituição com a qual o Clube assinará um protocolo para fomento e apoio desta prática aos jovens utentes da instituição.

Pretende-se com esse protocolo aumentar o número de jovens praticantes, proporcionar uma adequada e correta formação desportiva, e abrir a possibilidade de poder ser continuado o desenvolvimento de cada um para patamares superiores e mais exigentes, no âmbito desportivo e competitivo, junto do Clube.

Luís Caravana conquista o Ouro na Finlândia

Luís Caravana, acompanhado por Afonso Costa, alcançou a medalha de ouro nos European Paralympic Youth Games, que decorrem em Pajulahti, na Finlândia.

O atleta arsenalista, campeão nacional jovem de Portugal’2022, venceu todos os jogos realizados na prova masculina, BC3, de Boccia, alcançando, deste modo, o lugar mais alto do pódio.

No jogo final venceu o norueguês Konrad Logan por 4-2, com os parciais, 0-1, 3-0, 0-1, 1-0.

Dia memorável para Luís Caravana, em que selou a sua primeira grande vitória internacional.

Após a prova individual seguir-se-á a prova de pares BC3, onde Luís Caravana (SC Braga) jogará com Alice Moreira (FC Porto), em representação de Portugal.

O pódio da prova masculina de Boccia – BC3, ficou organizado da seguinte forma:

Medalha de Ouro – Luís Caravana (Portugal)

Medalha de Prata – Gabriele Zendron (Itália)

Medalha de Bronze – Mathias Da Silva (França)

O Campeão Nacional Jovem de Boccia participa integrado na Delegação Portuguesa, constituída por 25 atletas de cinco modalidades, atletismo, basquetebol em cadeira de rodas, boccia, natação e ténis de mesa, nesta competição do Comité Paralímpico Europeu que terá mais de 500 atletas de 29 países em provas de oito modalidades. 

Na modalidade de Boccia, para além do arsenalista Luís Costa, Portugal está representado por mais 4 atletas, Alice Moreira, Catarina Monteiro, David Araújo e Francisco Gouveia.

A prova de Boccia contará com a presença de 13 países, Croácia, Rep. Checa, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Israel, Itália, Portugal, Eslováquia, Eslovénia e Espanha.

Carlos Lopes, Team Leader da Missão Portuguesa aos Jogos Paralímpicos Europeus da Juventude, refere que “os Jogos serão certamente um marco importante e memorável na carreira desportiva destes jovens atletas, permitindo-lhes ter uma experiência competitiva internacional e, também, partilharem dos valores da coragem, determinação, inspiração e igualdade que norteiam o Comité Paralímpico Internacional. De igual modo, com esta participação e com a divulgação que dela faremos, pretendemos estimular e entusiasmar outros jovens com deficiência a iniciar uma prática desportiva regular!”

Site do evento: https://epyg2022.fi/