Calendarização Boccia SCB 2022 – Set. a Dez.

Junto se informa da calendarização de provas e estágios da S.N. que se prevê o SCB possa participar até final do presente ano de 2022.

A calendarização apresentada tem como base a divulgada pela PCAND, ainda que de forma provisória. A esta calendarização faltará ainda acrescentar as atividades internas do clube, como a sessão inaugural da época e entrega de prémios do VII Campeonato SCB, como integrar as datas dos jogos para o VIII Campeonato SCB, entre outras.

Joaquim Carvalho sagra-se Campeão Sénior do VII Campeonato SC Braga de Boccia 2021-2022

Nesta que foi a primeira participação dos atletas do Boccia Sénior no Campeonato SC Braga, Joaquim Carvalho levou de vencida a prova, com destaque perante os seus colegas e adversários, distanciando-se por 13 pontos do segundo classificado.

Nas segundas e terceiras posições do pódio, ficaram, respetivamente, Luís Alves e Carlos Fernandes.

Entre a segunda posição e a a sexta posição a diferença pontual foi muito curta, o que foi indicador do grande equilíbrio existente entre estes jogadores.

Carlos Fernandes alcança a terceira posição ao ser o jogador mais pontuado, e o vencedor, da 4ª volta, a mais importante em termos de peso para a pontuação final, e Luís Alves, ao obter a terceira melhor pontuação desta última volta, selou a sua segunda posição.

O campeão Joaquim Carvalho, teve como decisiva a 3ª volta, volta em que foi o único jogador em que não perdeu qualquer jogo.

O melhor ataque foi também de Joaquim Carvalho. Carlos Fernandes obteve o segundo melhor ataque e António Barroso o terceiro melhor ataque da prova. Estes jogadores conseguiram uma média arredondada de 8 pontos marcados por jogo.

Quanto à defesa, Joaquim Carvalho foi o jogador a quem foi mais difícil marcar pontos, tal como Carlos Fernandes que foi o segundo, ambos destacados em relação aos demais, com uma média estimada de 5 pontos por jogo. Na terceira posição aparece Francisco Costa com uma média estimada de 6 pontos. Entre a quarta e a sexta posição os jogadores sofreram cerca de 7 pontos e nas duas últimas posições 8 pontos.

Joaquim Soares vence a Divisão B do Campeonato SC Braga de Boccia 2021-2022

Joaquim Soares sagrou-se Campeão da Divisão B do VII Campeonato SC Braga de Boccia da época 2021-2022. Na segunda posição ficou Ivo Oliveira e a completar o pódio, na terceira posição, ficou Paulo Oliveira.

Joaquim Soares vence, pela primeira vez, a divisão B desta prova, sucedendo a Eunice Raimundo, Joana Pereira e Isaura Lopes, desde que a prova apresentou este novo figurino em 2017-2018.

Os resultados obtidos foram os seguintes:

Em termos de ranking da Divisão B, Joaquim Soares alcança a primeira posição, seguido de Ivo Oliveira na segunda posição e de Isaura Lopes na terceira posição.

Boccia no Braga Day’2022: Obrigado a todos

Obrigado a todos.

Quem, apesar de um sol e calor tórridos, apoiou a demonstração, a tenda, os transportes, a montagem/desmontagem do campo e materiais, preparou todo o material e organizou as deslocações, quem veio apoiar, quem veio ver os familiares e amigos, quem foi buscar as águas e os guarda sóis, quem foi pedir e buscar mesa e cadeira, quem limpou e desmontou, quem veio a correr mas que não queria deixar de estar, quem veio visitar porque não deixou de ser da família, quem veio aprender a jogar, quem veio cumprimentar os atletas e gritar bem alto que são “campeões do Braga, …quem se divertiu e ajudou a divertir, quem saiu cansado mas revigorado na sua partilha com a família Boccia e SC Braga, e trouxe o Boccia à rua, a todos aqueles que o conheciam e aos que o passaram a conhecer.

Obrigado “equipa”.

Temos “equipa”…isso já sabemos!

Estamos juntos 💪

30 de julho de 2022

José Gonçalves sagra-se Campeão da Divisão A do Campeonato SC Braga de Boccia 2021-2022

Após a realização das quatro voltas da Divisão A do VII Campeonato SC Braga de Boccia, realizadas entre outubro de 2021 e julho de 2022, José Gonçalves terminou na primeira posição, seguido de Mário Peixoto na segunda posição e de Domingos Vieira na terceira posição.

José Gonçalves venceu três das quatros voltas da prova, alcançando, deste modo, a primeira posição de forma destacada com 38,7 pontos. Somente perdeu a segunda volta para Domingos Vieira e Mário Peixoto, na única volta em que perdeu jogos (dois). Assim, a vitória de José Gonçalves foi reveladora de uma forma desportiva fortíssima, especialmente pela pontuação obtida que traduz não só as vitórias obtidas mas, também, o número de parciais vencidos e o número de pontos marcados.

Já a luta pela segunda posição teve em Mário Peixoto o vencedor, graças à sua prestação na quarta e última volta, a volta mais valiosa em termos pontuais, pois as vitórias em quatro dos cinco jogos efetuados permitiram-lhe superar o seu adversário direto, Domingos Vieira, que seguia na segunda posição no final da terceira volta.

O empate de Domingos Vieira perante Luís Caravana, e a forte derrota perante José Gonçalves, permitiram a aproximação de Mário Peixoto na terceira volta. Na última volta, as derrotas infligidas por José Gonçalves e pelo próprio Mário Peixoto, atrasaram ainda mais Domingos Vieira, sendo que Mário Peixoto conseguiu pontuar bastante nos jogos realizados nesta última volta tendo, somente, perdido um único jogo perante José Gonçalves.

Na luta pelo quarto lugar estiveram Luís Caravana e Joana Pereira. Apesar de Joana Pereira parecer estar a ter um ascendente perante Luís Caravana, explícito nas pontuações obtidas nas segunda e terceira voltas, e tudo levar a crer que seria mais provável que obtivesse a quarta posição, tudo se precipitou e fez com que Luis Caravana ultrapassasse Joana Pereira na classificação final.

Um número de jogos menos conseguido, de Joana Pereira, com baixas pontuações, e vencendo somente um jogo, tal como tinha acontecido na primeira volta, e, ainda, perdendo, nesta volta, o jogo com o seu adversário direto, Luís Caravana, fez com que este ultimo a ultrapassasse por 0,7 pontos, ajudado pelo fato de que esta ultima volta era a mais valiosa em termos de peso pontual, e portanto a volta mais decisiva de todas.

Na sexta posição ficou Eunice Raimundo, que nos 15 jogos efetuados não conseguiu vencer nenhum. Eunice Raimundo não participou na primeira volta da prova, por dificuldades quanto à sua parceira de competição, tendo iniciado a competição somente na segunda volta.

No ranking da Divisão A, José Gonçalves mantém a liderança, destacando-se dos seus colegas colocados nas 2ª e 3ª posições (Mário Peixoto e Domingos Vieira respetivamente).

José Gonçalves vence pela terceira vez consecutiva, nos últimos quatro anos, esta prova interna do Clube, tendo perdido o primeiro lugar para José Macedo, somente na época 2017-2018.

Após serem apurados os resultados e a classificação final das restantes divisões deste campeonato, Divisão B e Divisão Sénior, será realizada a cerimónia de entrega de prémios, que será mais um momento de confraternização e de reconhecimento pelo trabalho e resultados obtidos por todos os participantes.

Resultados Campeonato Nacional Coletivo de Boccia – Vila do Conde

No passado fim-de-semana, dias 23 e 24 de Julho, realizou-se o Campeonato Nacional de Pares e Equipas no Pavilhão Municipal de Desportos de Vila do Conde, com a presença de 60 atletas, fazendo um total de 24 pares e equipas de 12 clubes/instituições.

O Sporting Clube de Braga alcançou 2 títulos nacionais da 1ª divisão em 3 possíveis, tendo ficado, ainda, em 4º lugar na prova de equipas. Na 2ª divisão obteve o título de Vice-Campeão Nacional. Deste modo, alcançou 3 pódios em 4 possíveis e um 4º lugar, o que é digno de realçar e de parabenizar todos os seus atletas.

Os pódios foram os seguintes:

1ª Divisão

Par BC3
Campeão Nacional – SC Braga (par 1) – José Abílio Gonçalves e Joana Pereira
Vice-Campeão Nacional – FC Porto (par 1) – Virgílio Ferreira e Alice Moreira
Medalha de Bronze – Centro João Paulo II – Ana Sofia Costa, José Neves e Tiago Saraiva

Par BC4/BC5
Campeão Nacional – SC Braga – Domingos Vieira e Ivo Oliveira
Vice-Campeão Nacional – FC Porto (par 1) – Carla Oliveira e Tiago Silva
Medalha de Bronze – SC Espinho/AB Luís Silva – Herlander Correia e Yuri Dukhno

Equipa BC1/BC2
Campeão Nacional – APCAS – Rira Patrício, André Ramos, Miguel Gapo e Jéssica Reis
Vice-Campeão Nacional – SC Espinho – João Pinto, Ana Catarina Correia e Pedro Moura
Medalha de Bronze – APPC Porto – Fernando Ferreira, Vítor Lima e Nelson Fernandes

2ª Divisão

Par BC3
Campeão Nacional 2ª Divisão – Ass. Boccia Luís Silva – Ana Talaia, Luis Silva, Rui Silva
Vice-Campeão Nacional 2ª Divisão – SC Braga (par 2) – Luís Costa e Mário Peixoto
Medalha de Bronze 2ª Divisão – FC Porto (par 2) – Tiago Tavares e Rui Ribeiro

Uma época intensa e com muitas provas como se impõe, para os mais jovens, para os atletas menos jovens e para para os atletas seniores, e ainda contando com as provas internacionais além fronteiras e em solo lusitano.

Em época de grandes mudanças, não somente pelo reatar, “quase normal”, do calendário competitivo após a crise pandémica por que passamos; mas ainda pela alteração das competições e do seu regulamento; e ainda pela assunção de funções de uma nova direção da PCAND, a saída de elementos técnicos e a entrada de outros em sua substituição; queremos deixar o reconhecimento da luta para ultrapassar as dificuldades passadas por esta instituição e o desejo da maior sorte para cumprirem os desafios e objetivos principais da sua missão, o representar e apoiar os seus associados na prática da modalidade.

A todos os clubes e instituições nacionais de Boccia, o SC Braga deseja, ainda, um bom descanso e que nos voltemos a encontrar o mais breve possível, na época 2022-2023, para partilharmos o nosso gosto na prática da modalidade.

RESULTADOS FINAIS PODEM SER ENCONTRADOS AQUI

Na 1ª Divisão Nacional Coletiva, SC Braga alcança 2 títulos absolutos em 3 possíveis, em Vila do Conde

13 Clubes disputaram o Campeonato Nacional de Pares e de Equipas, nos dias 23 e 24 de julho, no Pavilhão Municipal de Desportos de Vila do Conde.

O Sporting Clube de Braga participou em todas as provas em disputa, 3 na 1ª divisão (Pares BC3, Pares BC4-BC5, e Equipas BC1-BC2) e 1 na 2ª divisão (Pares BC3). Dos 3 títulos em disputa na 1ª divisão, o Clube arrecadou 2 títulos nacionais em Pares BC3 e Pares BC4. Na 2ª divisão alcançou o título de Vice-Campeão Nacional em Pares BC3. Assim, o Clube alcançou, também, 3 pódios em 4 possíveis.

José Abílio Gonçalves/Paulo Correia e Joana Pereira/Ana Rita Barbosa/Sónia Marques Campeões Nacionais Pares BC3

Em Pares BC3, os Gverreiros do Minho venceram todos os jogos realizados, nas duas voltas da prova, não permitindo que os seus adversários diretos pudessem disputar o título nacional. O par composto por José Abílio Gonçalves/Paulo Correia e Joana Pereira/Sónia Marques apresentaram-se com um jogo muito controlado, criando muitas dificuldades aos seus adversários, sendo que em 6 jogos realizados, estes somente conseguiram pontuar 8 pontos ao par arsenalista.

Outro facto a assinalar, é a oitava revalidação consecutiva do título nacional pelo clube bracarense, o que representa a sua preponderância nesta classe desportiva.

Em pares BC4, constituído por Domingos Vieira e Ivo Oliveira, a luta foi muito renhida, sendo discutido o título nacional por confronto direto entre o SC Braga e par do FC Porto. A vitória frente ao par portista deu o título aos arsenalistas, após os dois clubes terem terminados empatados, em número de vitórias.

Ivo Oliveira e Domingos Vieira – Campeões Nacionais Pares BC4-BC5

Ainda na 1ª divisão, a Equipa BC1-BC2, constituída por Beatriz Leite (BC1), Joaquim Soares (BC2) e Paulo Oliveira (BC2), alcançou a 4ª posição da classificação geral.

Na única prova existente com participantes da 2ª divisão, a de Pares BC3, o Par 2 do SC Braga, constituído por Luís Caravana Costa/Afonso Costa e Mário Peixoto/Alberto Peixoto, obteve o título de Vice-campeão Nacional. O par bracarense venceu o seu grupo de apuramento e as meias-finais, não conseguindo bater o par da ABLS, com o qual acabou por perder por 4-6.

Terminou, deste modo, a presente época desportiva, uma época que se saldou como extremamente positiva com a obtenção de 8 títulos de Campeão Nacional, 4 títulos de Vice-Campeão Nacional, 1 título de Vice-Campeão Nacional (2ªD), e a Taça de Portugal de Boccia Sénior. Contabilizando as provas regionais e os 3ºs lugares obtidos, o clube arsenalista alcança a impressionante soma de 33 pódios ao longo de toda a época.

SC Braga no Nacional de Pares e Equipas, em Vila do Conde

O Sporting Clube de Braga participa no Campeonato Nacional de Boccia Pares e Equipas, que decorrerá nos dias 23 e 24 de julho, no Pavilhão Municipal de Desportos de Vila do Conde, prova que conta com 13 clubes a disputar os títulos nacionais coletivos da presente época.

O SC Braga apresentar-se-á com 2 pares BC3 (1ª e 2ª divisões), 1 par BC4 e 1 equipa:

Par BC3 – 1ª Divisão: José Gonçalves e Joana Pereira

Par BC3 – 2ª Divisão: Luís Caravana e Mário Peixoto

Par BC4 – Ivo Oliveira e Domingos Vieira

Equipa BC1-BC2 – Beatriz Leite, Paulo Oliveira e Joaquim Soares

Atletas SC Braga no ranking mundial de Boccia: José Gonçalves no Top 5 do Mundo

Atualizado o ranking mundial de Boccia, o Sporting Clube de Braga conta com 4 atletas pontuados, o Clube com maior número de atletas a nível nacional.

A destacar a 5ª posição do atleta José Gonçalves, que com 3 participações internacionais, alcança uma posição de destaque entre as estrelas da modalidade da classe BC3. Ainda, nesta classe, a estreante Joana Pereira, com a participação em 2 provas, alcança a 25ª posição feminina; e o experiente José Carlos Macedo obtém a 35ª posição masculina, fruto da sua não participação em provas internacionais na presente época.

Na classe BC4, Domingos Vieira retomou a sua participação em provas internacionais, após um largo interregno, sendo que somente pontua uma prova neste ciclo paralímpico, o que lhe valeu a 60ª posição masculina.

Medalhário Boccia World Cup – Póvoa’2022: Portugal em 2º lugar entre 24 países

Entre 04 e 10 de julho decorreu a Boccia World Cup, no pavilhão municipal da cidade de Póvoa de Varzim, naquele que é considerado a catedral do Boccia internacional.

Contando com 104 atletas de 24 países, e entre estes muitos atletas do top do ranking mundial, esta prova prometia uma elevadíssima competitividade, o que veio a confirmar-se e até superar as expectativas, pois muitos destes atletas de elevado ranking acabaram por ficar pelo caminho em confronto com as promessas emergentes.

Portugal tinha uma tarefa difícil dadas as caraterísticas da prova. Porém, jogando em casa e sabendo também do potencial dos seus atletas, existia a esperança de que fosse uma boa prova para as aspirações nacionais, e assim dar mais um passo decisivo para a obtenção de pontos para o ranking mundial e conseguir apuramentos para o próximo Campeonato do Mundo, que se realiza em dezembro, no Brasil.

Terminada a prova, constata-se a excelente prestação dos atletas lusos, tanto nas provas individuais como nas provas coletivas, alcançando a segunda posição do medalhário individual e obtendo medalha nas provas coletivas, numa prova em que somente um país, a Tailândia, consegue duas medalhas.

Nas provas individuais somente a Tailândia consegue melhor que Portugal. Portugal alcança medalhas em todas as divisões, exceto a BC1, conseguindo, ainda, dois pódios na BC2 masculina e feminina.

Somente 5 países conseguem mais que 1 medalha nas provas individuais e somente 2 países conseguem medalhas em mais que e divisões: Portugal e Tailândia.

Em termos das provas coletivas, Portugal só não consegue o apuramento para as finais da sua equipa, mas integra o grupo dos países (4) que conseguem apurar-se para finais de 2 divisões distintas.

Nas finais disputadas somente a Tailândia consegue 2 medalhas. Portugal obtém a medalha de bronze nos pares BC3, e não podemos deixar de referir o brilhante 4º lugar do Par BC4, conquistado nas finais perante os pares top 1 e top 2 do mundo.

No medalhário global, Portugal alcança a 2ª posição com a obtenção de 5 medalhas, entre os 14 países que alcançaram medalha e entre os 24 que disputaram a prova.

Mais uma prova extremamente positiva por parte da seleção nacional, dentro dos seus pergaminhos como uma das principais potências mundiais da modalidade, uma seleção com um misto de experiência e de renovação/juventude que faz com que se olhe para o futuro com renovadas expectativas.

José Gonçalves alcança o segundo bronze e Domingos Vieira o 4º lugar

José Gonçalves conquistou a segunda medalha de bronze na World Boccia Cup, desta feita na vertente de Pares BC3, juntamente com Ana Costa.

O par português (rank 10) entrou muito bem na prova ao vencer a Grécia (4-3), número 2 do ranking mundial. No jogo seguinte, frente à Grã Bretanha (rank 7), apesar de ter o jogo controlado, acabou por o perder (2-4), o que fez com que tivesse de recorrer aos playoffs para seguir em prova.

No playoff, Portugal encontrou a Polónia (rank 8), a qual venceu por uns concludentes 8-0, apesar de o resultado não revelar o equilíbrio existente durante todo o jogo.

No jogo das meias finais, Portugal defrontou a França (Rank 11). Apesar de ter perdido o jogo por 2-4, foi possível verificar que o par lusitano poderia ter ultrapassado o par gaulês, pois em momentos-chave não deteve a sorte do jogo, tal como aconteceu no ultimo e decisivo parcial, como em outros parciais não conseguiu materializar as vantagens que criou para obter outro resultado.

Assim, Portugal ficou arredado da final da prova, restando-lhe discutir o bronze perante a Grã Bretanha, par com quem tinha perdido na fase de apuramento. Tal como se previa, foi um desafio difícil, apesar de, mais uma vez, se ter apurado que o par português poderia ter conseguido levar de vencido este jogo com maior propriedade.

Na verdade, o jogo acabou por terminar empatado (3-3), tendo-se que recorrer a parcial de desempate para encontrar o vencedor, o que aconteceu para o lado nacional.

Esta vitória foi também muito importante para além da conquista da medalha de bronze, pois Portugal não vencia a seleção britânica desde 2017, contabilizando 5 derrotas consecutivas de 2017 a 2019.

Lembramos que esta foi a primeira vez que o par português contou com esta constituição, com a entrada de José Gonçalves para o par principal, fazendo parceria com Ana Costa.

Domingos Vieira, juntamente com Carla Oliveira, fizeram uma excelente prova em pares BC4. Portugal (rank 6) perdeu no apuramento com a Tailândia (rank 11), por 4-5, e venceu Hong Kong (rank 3) por 6-0. Desta forma, tal como o par BC3, teve de recorrer ao playoff para se manter na prova. No playoff, Portugal bateu a Croácia (rank 7), por 4-2.

Na meia final, defrontou o par número 1 do ranking mundial, a Eslováquia, tendo lutado até ao fim para chegar à final, mas acabou derrotado por 3-4.

Na discussão pela medalha de bronze, o par português encontrou a seleção canadiana (nº 2 do ranking mundial) tendo perdido, novamente pela margem mínima, por 4-5.

Sem dúvida que o par BC4 português lutou de igual-para-igual, perante as duas melhores seleções mundiais, tendo um feito um percurso assinalável que merece registo de relevo.

Certamente que Portugal está no bom caminho em ambos os pares BC3 e BC4, sendo-lhe, de certeza, reservadas muitas alegrias nos tempos próximos, como se apresenta com sérias aspirações a conquistar lugares para os Jogos Paralímpicos de Paris’2024.

A equipa BC1-BC2 (rank 2), não teve feliz no playoff, depois de passar a fase de grupos, ao perder para o Brasil (rank 3) a discussão para o acesso às finais.

Os pódios da prova coletiva foram os seguintes:

Pares BC3

1º lugar: Hong Kong

2º lugar: França

3º lugar: Portugal

Pares BC4

1º lugar: Eslováquia

2º lugar: Tailândia

3º lugar: Canadá

Equipas BC1-BC2

1º lugar: Grã Bretanha

2º lugar: Brasil

3º lugar: Tailândia

Domingos Vieira e José Gonçalves em jogo nos pares de Portugal na Póvoa World Boccia Cup

Domingos Vieira e José Gonçalves, entraram hoje em jogo nos pares de Portugal, das divisões BC4 e BC3 respetivamente.

Domingos Vieira (SC Braga) e a sua colega de par Carla Oliveira (FC Porto) encontraram, no seu grupo, a Tailândia (rank 11) e Hong Kong (rank 3). Portugal (rank 6) perdeu o seu primeiro jogo perante a Tailândia por 4-5, mas venceu Hong Kong por 6-0, o que lhe permitiu passar em segundo lugar no seu grupo para disputar os playoffs com a Croácia (rank 7), amanhã, Domingo (10 de julho).

Caso Portugal vença o playoff, irá jogar, na meia final, com a fortíssima Eslováquia, número 1 do ranking mundial.

José Gonçalves (SC Braga), fazendo par com Ana Correia (CJP II), defrontou, e venceu, por 4-3, o seu primeiro jogo perante o par número 2 do ranking mundial, campeão europeu e terceiro nos jogos paralímpicos de Tóquio, a Grécia.

No seu segundo jogo, o par português (rank 10) defrontou uma surpreendente Grã Bretanha (rank 7), perdendo por 2-4, o que colocou em perigo o seu apuramento para o acesso às finais. Portugal ficou dependente do jogo entre a Grã Bretanha e a Grécia, sendo necessário o par grego perder para que Portugal se mantivesse em prova, o que acabou por acontecer após vitória dos britânicos (3-3), em parcial de desempate.

Portugal defrontará, então, no playoff, o par polaco (rank 8) que venceu a República Checa por 4-3 (rank 13), mas perdeu com Hong Kong por 2-4 (rank 4), no seu grupo.

A equipa portuguesa (rank 2), constituída por André Ramos (BC1), Ana Correia (BC2) e Abílio Valente (BC2), venceu a Eslováquia (rank 11) por 12-6 e perdeu com a Grã Bretanha (rank 9) por 4-7, tendo assim que disputar o playoff perante a seleção do Brasil (rank 3).

Jogos dos Playoffs de Portugal, Domingo, dia 10 de julho:

Par BC3: Portugal x Polónia (10:00 – Campo 6)

Par BC4: Portugal x Eslováquia (10:00 – Campo 3)

Equipa: Portugal x Brasil (10:00 – Campo 1)

Portugal alcançou o 2º lugar no medalhário individual da World Boccia Cup-Póvoa’2022

No 4º dia da prova individual, Portugal participou em finais das classes BC2 feminina e masculina, BC3 masculina e BC4 feminina. Na discussão das medalhas, os atletas portugueses defrontaram adversários de rank superior em todos os casos.

Nas classes BC2 feminina e masculina, Portugal arrecadou 2 medalhas de prata, por Ana Correia e Abílio Valente. Na classe BC3, José Gonçalves conquistou a medalha de bronze e na classe BC4, Carla Oliveira o ouro.

A destacar a atleta Carla Oliveira, que perante adversárias de rank 1 (Michaela Balkova) e de rank 2 (Alison Levine) levou a melhor sobre estas, em finais muitíssimo bem conseguidas e equilibradas.

Na classe BC2, o já muito experiente Abílio Valente, depois de uma fase de grupos algo difícil, e uma 1/2 final que venceu brilhantemente no desempate, perante o eslovaco Rastilav Kurilak, não conseguiu levar de vencida, na final, o tailandês W. Saengampa, atleta com o qual já tinha perdido na fase de grupos, obtendo, assim a medalha de prata.

De prata também foi a medalha da campeã nacional Ana Correia, na classe BC2 mas feminina. Ana Correia fez uma prova fantástica, superando adversárias de rank superior, somente não tendo batido a britânica Claire Taggart, na final, que teve de recorrer a parcial de desempate.

Na classe BC3, José Gonçalves confirmou a sua mais valia internacional, após o bronze conquistado na Boccia World Cup do Rio de Janeiro. Agora, “em casa”, José Gonçalves voltou a alcançar o pódio e a arrecadar a medalha de bronze, numa prova dificílima, onde encontrou adversários de enorme valor.

Portugal conquista, deste modo, 4 medalhas na prova, ficando em segundo lugar no medalhário individual.

Em grande destaque fica a Tailândia com 6 medalhas, em todas as classes, e alcançando 5 primeiros lugares, o que é, sem dúvida, uma façanha notável. Com 3 medalhas, no ultimo lugar do “pódio” deste medalhário, surge Hong Kong.

Portugal e a Tailândia continuam a demonstrar valores em todas as classes, sendo que a falta de uma medalha na BC1 masculina de Portugal consistiu numa surpresa, bem como a conquista de medalha na Classe BC3, por parte da Tailândia também o foi, mas pelo lado positivo dado o grande valor do atleta tailandês que venceu a respetiva prova.

A distribuição das 24 medalhas por 12 países, entre os 16 que alcançaram as meias finais, revela bem a enorme competitividade da modalidade, e a dificuldade de um país concentrar em sí próprio parte significativa das mesmas.

BC1 masculino

BC1 feminino

BC2 masculino

BC2 feminino

BC3 masculino

BC3 feminino

BC4 masculino

BC4 feminino